Advogados Gratuitos Lisboa

Advogados Gratuitos Lisboa

Procurando Advogados que respondem perguntas Online grátis 24 horas em Lisboa? Faça Consultas Gratuitas na Ordem dos Advogados Whatsapp.

A constituição da República Portuguesa, inspirada no artigo 8º da Declaração Universal
dos Direitos do Homem, estabelece, no seu artigo 20º, que a todos é assegurado a todo cidadão de Lisboa a assistência e Advogado Gratuito para a defesa dos seus direitos e interesses legalmente protegidos, não podendo a justiça ser denegada por insuficiência de meios económicos.

Advogados Gratuitos Lisboa
Advogados Gratuitos Lisboa

Assistencia Juridica e Apoio Juridico Gratis em Lisboa

O que é Ajuda Jurídica Gratuita e Linha de apoio jurídico gratuito?

No desenvolvimento da Constituição Portuguesa, foi oferecido aos seus cidadãos assistência jurídica grátis para aqueles que comprovam falta de recursos econômicos suficientes para pagamento de honorários de advogados e advocatícios, das despesas derivadas de laudos periciais, títulos, honorários de judiciais, etc.

Clique nos Anúncios e fale com os Advogados sobre seus Direitos, Consulta, Atendimento Jurídico Gratis no Pequenas Causas, Direito do Consumidor em Lisboa.

Todo cidadão português que reside em Lisboa pode conseguir uma Linha de Apoio Jurídico gratuito e grátis chat online, bem como na Ordem dos Advogados consultas gratuitas de Advogados Criminalista Penalista, Trabalhista, Cível Família, Divórcio, Herança, Trabalho, Direito Imobiliário, Imigração e assistência de Advogado Oficioso.

O funcionamento da Ordem dos Advogados em Lisboa, para Consulta Jurídica Gratuita é assegurado pela Delegação do Seixal da Ordem dos Advogados e prevê que a consulta jurídica é uma actividade de aconselhamento jurídico solicitado pelo consulente/beneficiário admitido e que consiste na interpretação e aplicação das normas jurídicas.

Permite-se a cada consulente/beneficiário até 06 (seis) consultas por cada ano e 01 (uma) sobre cada assunto/questão, bem como que as Consultas Jurídicas Gratuitas são prestadas em dia de semana que designado para a realização de atendimento, num total de até 10 (dez) consultas por dia, com a duração
máxima de até 30 (trinta) minutos cada uma.

O direito a um Advogado gratuito em Portugal, bem como a assistência jurídica grátis é um serviço público prestado por advogados designados pelo governo ou pela Ordem dos Advogados de Portugal para que seus cidadãos possam acessar a justiça e ter direito à igualdade e o direito à efetiva proteção.

Linha de apoio jurídico gratuito
Linha de apoio jurídico gratuito

Quem tem direito à Advogado Gratuito?

Tem direito à assistência jurídica gratuita (ajuda legal), cidadãos portugueses que provam que seus meios financeiros são insuficientes, ou seja, independentemente de seus meios econômicos, os trabalhadores e beneficiários da seguridade social, vítimas de violência de gênero, terrorismo e tráfico de seres humanos e qualquer abuso de direito, tem direito à assistência jurídica gratuita.

Saiba mais em: https://justica.gov.pt/Guias/como-pedir-apoio-judiciario

O direito à assistência jurídica em Portugal gratuita inclui os seguintes benefícios:
Assessoria e orientação gratuitas antes do início do processo.

  • Assistência do advogado ao detento ou prisioneiro;
  • Livre defesa e representação por advogado e advogado no processo judicial;
  • Inserção gratuita de editais ou editais, no decorrer do processo, que devem ser publicados em jornais oficiais;
  • Isenção de honorários judiciais, bem como do pagamento de depósitos para a apresentação de recursos;
  • Assistência especializada gratuita nos termos estabelecidos por lei.
    Obtenção gratuita de cópias, depoimentos, instrumentos e registros notariais;
  • Pode ser solicitado por aqueles cidadãos que desejem entrar ou foram envolvidos em qualquer tipo de processo judicial ou com a intenção de iniciá-lo, não possuem bens suficientes para arcar com custos e honorários.

O direito à assistência jurídica gratuita em Portugal será reconhecido para pessoas físicas que não possuam recursos suficientes para ingressar em um processo sem prejudicar seu sustento.

Defensoria Pública do Estado Portugal

Como arranjar um advogado do Estado ou ter na Ordem dos Advogados consultas gratuitas?

Cidadãos portugueses e estrangeiros que não podem pagar os serviços jurídicos de que necessitam e encontram-se nessa situação, tem direito a advogado gratuito, ou seja, quem tem baixo rendimento onde não lhe permita pagar os honorários de um advogado tem direito a advogado gratuito.

A Segurança Social de Portugal oferece proteção jurídica a pessoas e entidades sem fins lucrativos que não tenham como pagar as despesas associadas a processos jurídicos ou extrajudiciais (fora dos tribunais), ou seja:

“ aqueles que encontra-se em insuficiência económica aquele que, tendo em conta o rendimento, o património e a despesa permanente do seu agregado familiar, não tem condições objetivas para suportar pontualmente os custos de um processo”

Para isso, todos portugueses que pretendam usufruir deste serviço, devem comprovar que não têm como comportar as despesas com a contratação de um advogado e as despesas associadas à ação judicial de duas formas:

  1. Consulta jurídica  – é uma consulta para esclarecimento técnico sobre questões concretas relativas a interesses pessoais ou direitos lesados ou ameaçados, da pessoa em questão;
  2. Apoio judiciário: quando é nomeado um advogado publico para a pessoa ou entidade sem fins lucrativos dispensada do pagamento das custas judiciais ou podendo pagá-las em prestações.

Os Defensores Públicos de Portugal e a Ordem dos Advogados disponibilizam consultas gratuitas Online por Whatsapp aos cidadãos um portal em seu estado onde é possível saber os endereços, telefones, emails, requisitos e formulários para a solicitação do advogado gratuito, assessoria grátis qualquer auxílio jurídico sem custos.

Todos cidadãos portugueses e estrangeiros que preenchem os requisitos devem preencher um formulário e apresentar fotocópias de documentos como:

  1. Cartão de cidadão (ou outro documento de identificação válido);
  2. Última declaração de IRS;
  3. Recibos de vencimentos dos últimos 6 meses;
  4. Declaração de IVA dos 2 últimos trimestres e comprovativo de pagamento (para trabalhadores por conta de outrem);

São ainda solicitadas fotocópias de documentos, que poderá ver com mais pormenor no site da Segurança Social, em caso de:

  • Receber apoios da Segurança Social;
  • Possuir imóveis;
  • Possuir ações ou participações em empresas;
  • Possuir automóveis;
  • Ser membro de órgãos de administração ou sócio de uma empresa

O requerimento de justiça gratuita deve ser entregue pessoalmente num balcão da Segurança Social ou por correio e a resposta ocorre em aproximadamente 30 dias.

Os pedidos de advogado e assistência jurídica gratuita em Portugal serão, juntamente com a documentação correspondente analisados e submetidos a avaliação dos defensores, da Ordem dos Advogados do local e, muitas vezes do Tribunal que julga o processo para avaliar a veracidade da necessidade de justiça gratuita.

Uma vez apresentado o pedido de advogado gratuito, os serviços de orientação jurídica examinarão a documentação apresentada e, caso achem insuficiente ou que haja deficiências na solicitação para corrigir os defeitos.

Após a análise da documentação, será nomeado um advogado que cuidará, gratuitamente do seu processo jurídico em todas as instâncias e tribunais.

Advogados consulta online gratuita Lisboa
Advogados consulta online gratuita Lisboa

Abogado Divorcio e Free Atorney

Como faço pra conseguir um advogado público em Portugal?

Além da Segurança Social que oferece apoio jurídico caso a pessoa não tenha como custear as despesas com um advogado, algumas Juntas de Freguesia também dão apoio jurídico a pessoas economicamente carenciadas, mas nesses casos, para pedir o aconselhamento e apoio judicial precisa de ser associado da DECO, pagando a devida assinatura mensal.

Importante salientar que, conforme informações da Ordem portuguesa, existem aproximadamente 13.500 os advogados oficiosos inscritos no sistema do regime do apoio judiciário e Sistema de Acesso ao Direito e aos Tribunais.

A base constitucional portuguesa é o art. 20, n.º 1, da Constituição da República, segundo o qual a todos é assegurado o acesso ao direito e aos tribunais para defesa dos seus direitos e interesses legalmente protegidos, não podendo a justiça ser denegada por insuficiência de meios económicos, texto que se repete no art. 26 da Lei n.º 62/2013 (Lei de Organização do Sistema Judiciário).

Da mesma maneira, na Convenção Europeia dos Direitos Humanos, que em seu art. 6.º prevê que o acusado terá direito a um defensor oficioso, e a Diretiva 2003/8/CE do Conselho Europeu relativa à melhoria do acesso à justiça nos litígios transfronteiriços através do estabelecimento de regras mínimas comuns nesse domínio (transposta para Portugal na forma do Decreto-Lei n.º 71/2005).

A base de toda a estrutura do sistema legal português está prevista na Lei n. º 34/2004 (Lei do Apoio Judiciário), cuja alteração mais recente data de março de 2020 com a Lei n.º 2/2020, que estabeleceu critérios facilitadores para as vítimas de violência doméstica.

A concessão da gratuidade são sensivelmente mais objetivos, ou seja, em princípio, não cabe ao juiz avaliar a condição do requerente: tal atribuição é conferida pela lei à Segurança Social (art. 20) e ainda, o art. 8.º da LAJ estabelece as balizas do conceito de insuficiência econômica, mas é o art. 8.º-A que impõe critérios objetivos para a concessão da benesse.

O Tribunal da Relação do Porto já decidiu que “o conceito de insuficiência económica com vista à obtenção da protecção jurídica traduz-se na análise do rendimento, património e despesa permanente do agregado familiar do requerente.

Assim, na verificação da falta de condições objectivas para suportar os custos de um processo” (Ac. de 17/6/2015, processo n.º 154/15.1YRPRT, Rel. Elsa Paixão) e assim, a objetividade da lei, nota-se a partir da jurisprudência que em certas condições os critérios podem ser mitigados face a uma análise mais conjuntural da situação do requerente.

Como Solicitar Assistência Jurídica em Lisboa

Antes de iniciar o processo de solicitação de assistência jurídica, é crucial entender como funciona e quem pode se beneficiar desse serviço valioso. Abaixo, destacamos os principais pontos relacionados ao apoio judiciário em Lisboa.

Como Funciona

O apoio judiciário varia de acordo com o tipo de processo e a situação econômica do solicitante de em Lisboa. Aqui estão algumas das formas pelas quais o apoio judiciário pode ser concedido:

  • Nomeação de um Mandatário ou Pagamento de Honorários: Em casos civis ou contraordenacionais, o apoio judiciário pode incluir a nomeação de um mandatário e o pagamento de seus honorários ou, se aplicável, o pagamento dos honorários do defensor oficioso;
  • Dispensa de Taxa de Justiça e Encargos: Os beneficiários podem ser dispensados do pagamento da taxa de justiça e de outros encargos relacionados ao processo. Além disso, pode ser permitido o pagamento dessas taxas em prestações;
  • Atribuição de um Agente de Execução: Em certos casos, um agente de execução pode ser designado para auxiliar no processo.

Quem Pode Solicitar em Lisboa:

O apoio judiciário está disponível tanto para pessoas singulares quanto para pessoas coletivas, com ou sem fins lucrativos. Vejamos os critérios para ambas as categorias:

Pessoas Singulares

Pode solicitar apoio judiciário quem se enquadra nas seguintes categorias:

  • Cidadãos Portugueses;
  • Cidadãos da União Europeia;
  • Estrangeiros e Apátridas com Autorização de Residência Válida em um Estado-Membro da União Europeia com os mesmos direitos dos cidadãos portugueses;
  • Residentes habituais em um dos Estados-Membros da União Europeia, mesmo que o processo não ocorra nesse país;
  • Entidades com e Sem Fins Lucrativos

As seguintes entidades podem beneficiar do apoio judiciário, que inclui a dispensa da taxa de justiça e a nomeação de um advogado ou agente de execução, se aplicável:

  • Associações;
  • Fundações;
  • Cooperativas;
  • Sindicatos;
  • Instituições religiosas;
  • Sociedades Civis;
  • Sociedades Comerciais.

É importante ressaltar que todos os pedidos devem ser acompanhados de comprovativos das dificuldades econômicas que impedem a pessoa ou entidade de arcar com os custos do processo.

Simulador

Para determinar se você tem direito à proteção jurídica em Lisboa, pode utilizar o simulador de proteção jurídica disponível no Portal da Segurança Social, na opção de menu “Simulações > Proteção Jurídica”.

Onde Solicitar

O pedido de apoio judiciário pode ser realizado de diversas formas:

  1. Online: Através da Segurança Social Direta;
  2. Presencialmente: Em qualquer serviço de atendimento ao público do Instituto da Segurança Social;
  3. Por Correio: Enviando a solicitação para o Instituto da Segurança Social.

Além do formulário de pedido, é essencial apresentar documentos que comprovem a situação econômica da pessoa singular ou entidade que solicita o apoio em Lisboa.

Documentos Necessários

Para pessoas singulares, os documentos necessários incluem:

  1. Documento de identificação válido (cartão de cidadão, bilhete de identidade, certidão do registo civil, boletim de nascimento, passaporte), e autorização de residência, se aplicável;
  2. Última declaração de IRS e nota de liquidação (se emitida), ou uma certidão das Finanças que comprove a ausência de rendimentos;
  3. Recibos de vencimento dos últimos seis meses (trabalhadores por conta de outrem) ou declarações de IVA dos últimos dois trimestres, comprovativos de pagamento e recibos dos últimos seis meses (trabalhadores por conta própria);
  4. Comprovativos de subsídios ou pensões recebidos;
  5. Caderneta predial atualizada ou certidão de teor matricial e comprovativo de aquisição de bens imóveis;
  6. Comprovativos de ações ou participações em empresas;
  7. Livretes e registros de propriedade de veículos;

Se você for membro da administração ou sócio com 10% ou mais de uma empresa, serão necessários documentos adicionais;

Para entidades coletivas, os documentos exigidos incluem:

  1. Documento de identificação válido dos representantes legais da entidade, e autorização de residência, se aplicável;
  2. Estatutos ou pacto social atualizados;
  3. Última declaração de IRC ou IRS e respetiva nota de liquidação (se emitida), ou uma certidão das Finanças que comprove a ausência de declaração;
  4. Declarações de IVA dos últimos 12 meses e documentos que comprovem o pagamento;
  5. Documentos de prestação de contas dos últimos três exercícios ou desde a constituição, se a entidade tiver menos de três anos;
  6. Balancete do último trimestre (se aplicável);
  7. Caderneta predial atualizada ou de teor matricial e comprovativo de aquisição de bens imóveis;
  8. Comprovativos de ações ou participações em empresas;
  9. Livretes e registros de propriedade de veículos;

Se você possuir outros bens móveis, também será necessário apresentar documentação específica.

Quanto Custa

O pedido de apoio judiciário em Lisboa é gratuito.

Solicitar apoio judiciário em Lisboa pode ser um passo crucial para garantir que todos tenham acesso à justiça, independentemente de sua situação financeira.

Este guia fornece as informações necessárias para começar o processo e obter o suporte necessário em situações legais desafiadoras. Não hesite em buscar ajuda e proteção jurídica quando necessário.

Advogado para Divórcio – saiba mais sobre promoções e ofertas e sobre os pontos de Interesse em Lisboa:

Torre de Belém
Castelo de S. Jorge
Mosteiro dos Jerónimos
Praça do Comércio
5/5 - (545 votes)

16 comentários

  1. Daniel Lima Responder

    Boa noite.preciso de ajuda com poder judicial para obter uma pensão.sofro de esquizofrenia paranoide tenho relatório da médica.quem me pode ajudar?contactem me por email sff.

  2. Antonio Serra Responder

    Boa noite, só 2 pergy por favor,quem me pode ajudar?
    Quanto tempo leva para prescrever um processo das finanças?
    Como recebo o ordenamento mínimos não tenho condições para pagar as finanças faseadamente,qual o máximo que me podem tirar no subsídio de férias e natal? Muito obrigado

    • Ligia nunes Responder

      boa tarde preciso de ajuda jurídica pois já fiz 9 requerimentos na segurança social e não comparece carta nenhuma na murada que sito nos mesmo e sobre os meus dois filhos que um deles tá para uma adoção e o meu mais pequeno tá numa instituição preciso de ajuda urgente
      obrigado pela sua atenção

    • Juizado Autor do postResponder

      Ola, bom dia, no juizado especial cível, pequenas causas, pode somente causas de baixa complexidade, sem necessidade de pericia mas nao causas familiares ou trabalhistas

  3. Ana Pereira Responder

    Bom dia queria tirar uma dúvida se faz favor o meu marido teve um acidente no dia 20.2.2023 está no seguro c.a.caixa agrícola e anda em consultas na cruz vermelha de Lisboa foi operado no dia 9.6.2023 ao canal do carpio nada tendo a ver com o acidente porque partiu o pulso e como sulidificou sozinho não o quizerao operar aí então operaram ao canal carpio e volta lá dia 24 deste mês para ou ir a junta médica ou assinar alta a nossa dúvida é o k fazer e quais os direitos dele se me puderem esclarecer agradeço pois neste momento não temos meios para pagar a um advogado obrigado

    • Juizado Autor do postResponder

      Bom dia,

      Lamento saber sobre o acidente e a situação médica do seu marido. Como advogado, minha atuação é geralmente limitada a fornecer informações jurídicas e orientação dentro do meu país de atuação, mas posso tentar dar algumas diretrizes gerais que podem ser aplicáveis em Portugal. No entanto, é importante ressaltar que a melhor opção é buscar aconselhamento jurídico específico de um advogado local em Portugal para obter informações precisas e atualizadas de acordo com as leis e regulamentos locais.

      Dito isso, em Portugal, se seu marido está segurado pela Caixa Agrícola e sofreu um acidente, ele pode ter direito a benefícios de seguro, como indenização por incapacidade temporária ou permanente, dependendo da extensão das lesões. Além disso, ele pode ter direito a tratamento médico adequado e reabilitação para se recuperar do acidente.

      É importante que vocês reúnam toda a documentação médica relacionada ao acidente, incluindo relatórios médicos, exames, receitas, entre outros, para comprovar a extensão das lesões e o tratamento médico necessário.

      Sobre a situação específica da consulta na Cruz Vermelha de Lisboa e a operação ao canal do carpo, pode ser necessário obter opiniões médicas adicionais e, se necessário, buscar uma segunda opinião para garantir que o tratamento seja adequado e suficiente.

      Com relação à próxima consulta, é importante que ele esteja preparado para discutir sua condição médica atual e suas necessidades de tratamento com o médico. Dependendo do estado de saúde dele, a junta médica pode avaliar se ele está apto para retornar ao trabalho ou se precisa de mais tempo para se recuperar.

      Reforçando novamente, aconselho que vocês procurem a ajuda de um advogado em Portugal especializado em questões de seguro e direitos do paciente para obter orientações mais detalhadas e específicas para o caso do seu marido. Essa consulta inicial com um advogado pode ser importante para garantir que os direitos do seu marido sejam protegidos e que ele receba a assistência adequada nesse momento difícil.

      Espero que as coisas se resolvam para vocês da melhor forma possível, e desejo uma rápida recuperação para o seu marido. Obrigado.

  4. Ricardo Responder

    Bom dia,

    Necessitava de ajuda em perceber se há algo que possa fazer e se tenho razão no meu pedido.

    Comprei um carro novo em Janeiro de 2023 e a partir de Setembro o banco do condutor começou a apresentar um ruído de molas desagradável no encosto.
    O carro já foi ao stand 3 vezes, e após 1 ou 2 dias volta a apresentar o mesmo problema. O Stand diz que fez tudo o que tecnicamente era possível e nada mais pode fazer. Desde Setembro até à data de hoje foram 3 intervenções que não resolveram o problema e eu insisto com o stand que é um defeito e que o carro está na garantia e como tal devem resolver em definitivo.

    Obrigado
    Cumprimentos

    • Juizado Autor do postResponder

      Bom dia, Ricardo.

      Lamento saber sobre a situação frustrante que você está enfrentando com o banco do condutor do seu carro novo. É compreensível que você esteja buscando uma solução para esse problema, especialmente considerando que o veículo está dentro do período de garantia.

      Aqui estão algumas orientações que podem ajudá-lo a entender seus direitos e buscar uma solução adequada:

      Revisão do Contrato de Compra: Verifique o contrato de compra do veículo para entender os termos da garantia oferecida pelo fabricante ou pelo concessionário. Geralmente, a garantia cobre defeitos de fabricação e problemas mecânicos dentro de um período específico.

      Registro de Reparações: Mantenha um registro detalhado de todas as intervenções realizadas pelo stand em relação ao problema do banco do condutor. Isso inclui datas, descrições do problema, peças substituídas ou reparadas, e qualquer comunicação por escrito relacionada ao assunto.

      Comunicação com o Stand: Continue insistindo com o stand sobre a resolução definitiva do problema. Explique que as intervenções anteriores não foram eficazes e que você espera uma solução permanente, considerando que o carro está na garantia.

      Consulte um Especialista: Se o stand continuar a não oferecer uma solução satisfatória, considere consultar um especialista em direitos do consumidor ou um advogado especializado em direito automotivo. Eles podem revisar o seu caso, analisar a documentação disponível e orientá-lo sobre os próximos passos legais a serem tomados.

      Registre uma Queixa: Se todas as tentativas de resolução direta com o stand não derem resultados, você pode considerar registrar uma queixa junto aos órgãos de proteção ao consumidor do seu país. Eles podem intervir e mediar uma solução entre você e o stand.

      Lembre-se sempre de manter uma postura educada e documentar todas as suas comunicações e ações relacionadas ao problema. Espero que você consiga resolver essa questão de forma satisfatória e que o problema com o banco do condutor seja corrigido definitivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.